Quebrando longo silêncio

Pág. 8 do Segundo Caderno do Globo de 17-10, metade de baixo da pág., uma matéria sobre artes plásticas:

Acho totalmente equivocado o colecionador que fica escolhendo porque gosta disso ou daquilo. O papel dele é estimular a produção do artista, confiar que ele vai produzir um trabalho importante de ser arquivado ou protegido numa coleção. ” – Ricardo Basbaum, um artista.

O sujeito, per si, declara inválido o direito de escolha do cliente e ainda estabelece qual o papel deste na pantomima – por acaso, um papel conveniente ao autor da sentença. E a jornalista autora da matéria, ao publicar tal fala sem nenhuma réplica ou comentário crítico, está, mesmo que involuntariamente, respaldando-a.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: