Inglourious Basterds

comoeueratrouxaaosdezoitoanos

Por Mauricio O. Dias – comoeueratrouxa

Já disse num texto anterior que ‘Bastardos Inglórios’ é um filmaço. Ainda sobre ele, comento alguns pontos duvidosos do roteiro. Já tinha feito isto com os roteiros de ‘O Poderoso Chefão I e II’, ‘O Resgate do Soldado Ryan’ e outros (links ao final do texto).

Evidentemente, ao contrário dos demais, ‘Bastardos…’ não é um filme que se pretenda realista, então os pontos que vou apontar aqui são mera curiosidade, não uma crítica ao filme.

Pra que apontar tais questões, se nem eu as considero como prejudiciais ao filme? Porque estar atento a tais pontos é útil aos roteiristas; conseguir identificá-los e argumentar sobre a razão pela qual agridem a lógica propicia uma maior atenção às leis de causa/conseqüência – atenção esta que o roteirista deveria precisar na elaboração de suas próprias idéias. Aviso aos que ainda não viram o filme, comento trechos:

1)      Antes do encontro dos ‘Bastardos’ com a personagem Bridget von Hammersmark, que é uma estrela do cinema alemão, o chefe da equipe, o tenente Aldo Raine (personagem de Brad Pitt) reclama que o lugar por ela escolhido, um porão, é um péssimo lugar para uma operação. Ainda assim, ele manda para o encontro TODOS os três membros da equipe que falavam alemão. Caso a ação falhasse – como ocorre – ele corria o risco de não ter mais nenhum mebro fluente em alemão na equipe. Ok, como já dissemos, o filme não se pretende realista, e esta cena, além de mesclar tensão e humor de forma magistral serve de gancho para piadas posteriores sobre o fato de os americanos em geral não falarem um segundo idioma – e também para podermos ver os ‘Bastardos’ falando um hilário italiano macarrônico. Mas é ilógico, militares planejam as ações de modo que, falhando um plano A, ainda seja viável um plano B. Não “botam todos os ovos numa única cesta” se não houver necessidade.

2)      Se o Coronel alemão Hans Landa pretendia se entregar aos ‘Bastardos’ em troca de proteção, por que ele mata Bridget von Hammersmark – a estrela do cinema alemão? Se ele estava disposto a mudar de time, pra que ainda manter o papel de oficial da inteligência e eliminar uma colaboradora do inimigo ao qual ele pretende se entregar? Resposta: Pra Tarantino poder mostrar pela enésima vez um pé feminino desnudo, e brincar de Cinderela. Mas é ilógico.

Um dado interessante do filme é que ele apresenta um personagem negro vivendo na França ocupada. Sabemos que havia pessoas de origem africana na Europa já desde a Idade Média, Albrecht Dürer no século XVI retratou ‘Busto de um Negro’ e ‘A Moura Katharina’. E Shakespeare, ao escrever ‘Otelo, o Mouro de Veneza’, baseou-se numa obra de Giraldi Cinthio (1504-1573). Para além dos séculos de dominação moura na península ibérica, que deixaram ali a marca da miscigenação, a presença de negros em solo europeu é fartamente documentada.

Ver imagens:

‘Busto de um Negro’ no link http://reisserbilder.at/index.asp?aid=277

‘A Moura Katharina’ – http://www.garyschwartzarthistorian.nl/schwartzlist/?id=127

Mas o percentual de negros na população europeía devia ser ínfimo, e através da pseudo-historiografia fílmica muito pouco é dito da posição dos nazistas para com os negros – ao passo que qualquer garoto de doze anos sabe dos horripilantes planos nazistas para com os judeus.

O filme ‘Mephisto’, do húngaro István Szabó, é inspirado na vida real do ator Gustaf Gründgens, que após a ocupação alemã se tornou um colaboracionista. O autor da novela em que se o filme se baseou foi Klaus Mann, filho do famoso Thomas Mann. Klaus era cunhado de Gustaf.

Não sei o quão factual é o filme. Nele, o personagem do ator tem uma amante negra, e é aconselhado pelos seus parceiros nazistas a terminar o relacionamento.

Já a relação entre alemães e negros não-residentes na Europa, temos uma amostra na pequena participação do grande atleta Jesse Owens na primeira parte do ‘Olympia’ de Leni Riefenstahl.

Outros textos meus sobre roteiros de filmes célebres:

“Chinatown”; “Taxi Driver”; “O Resgate do Soldado Ryan” –

https://comoeueratrouxaaos18anos.wordpress.com/algumas-consideracoes-sobre-dramaturgia-em-filmes

“O Poderoso Chefão”

https://comoeueratrouxaaos18anos.wordpress.com/coppola-e-os-chefoes-ps

“O Poderoso Chefão II”

https://comoeueratrouxaaos18anos.wordpress.com/coppola-e-os-chefoes

“Super-Homem”; “Homem-Aranha”; “X-Men” –

https://comoeueratrouxaaos18anos.wordpress.com/se-os-diretores-respeitassem-o-publico-de-cinema-pipoca

Uma resposta para Inglourious Basterds

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: